Aplicativo inova em função da pressão arterial

Júlia Pinheiro - 09-02-2023
3595

A hipertensão arterial, condição conhecida como pressão alta, é definida pelos níveis elevados da pressão sanguínea nas artérias. Considerada uma doença comum entre os brasileiros, 388 pessoas morrem por dia, no país, devido a hipertensão, segundo dados do Ministério da Saúde (MS). De acordo com o MS, o problema de saúde é crônico, sendo 90% dos casos ligados a questões hereditárias. Todavia, a alteração dos níveis da pressão arterial também pode ser estimulada pelo tabagismo, alcoolismo, sedentarismo e obesidade.

Os sintomas relacionados a pressão alta se manifestam quando a doença está em estágio avançado, sendo comuns, nesse caso, sensações de palpitação, dores no peito e na cabeça, sangramento nasal e dificuldades na visão. Nesse sentido, é recomendável medir a pressão arterial corretamente e com regularidade, prevenindo a progressão da doença e de suas complicações. Para isso, é necessário tomar cuidados antes e durante o procedimento de medição, o que inclui principalmente o preparo do corpo do paciente.

Visando contribuir para o desempenho de profissionais da saúde acerca da precisão da medida da pressão arterial, um grupo de pesquisadores da Universidade Federal de Alfenas (Unifal) criou o software Ensino de Medida da Pressão Arterial (EMPA). O programa de computador ensina, a partir de conteúdo teórico e prático, como preparar o paciente e medir corretamente sua pressão. Além disso, o aplicativo oferece o diagnóstico precoce da hipertensão arterial, colaborando para a prevenção doença.

A enfermeira Bárbara Caroliny Pereira, pesquisadora apoiada pela FAPEMIG durante o seu vínculo com o Programa de Pós graduação em Enfermagem (PPGENF) da Unifal, é uma das idealizadoras do projeto. Ela explica que ao longo de seus estudos na graduação identificou dificuldades no aprendizado de seus colegas referentes à medição da pressão arterial. Consequentemente, surgiu a ideia de criar um método de aprendizagem, a fim de auxiliar alunos e, simultaneamente, apoiar profissionais da saúde. “Toda a ideia do projeto foi inovadora. Tanto na iniciação científica quanto no trabalho de conclusão de curso eu estudei a medida da pressão arterial. Ambos os processos possibilitaram a identificação de lacunas no conhecimento, pois, nos métodos de ensino tradicionais, os alunos apresentavam dificuldades de apreender o conteúdo”. Ela afirma que a acessibilidade aos dispositivos móveis despertou o interesse da equipe em desenvolver o aplicativo EMPA. “Notamos que o fluxo de conectividade dos alunos com a internet e seus meios facilitou todo o processo. A partir daí decidimos investir em um software e adaptar esta metodologia ativa para suprir a demanda deles”, comenta Pereira.

Aprendizagem ativa

Método adotado pelo grupo de inventores do programa de computador, que além de Pereira conta com as pesquisadoras Silvana Maria Fava e Zélia Marilda Reck, ambas da Escola de Enfermagem da Unifal (EE Unifal), e com os programadores Alan Le Senechal e Marcos Nery, a aprendizagem ativa é a ação de inserir o aluno no processo prático de uma pesquisa, por meio de atividades interativas. Dessa forma, sobre a relação da metodologia ativa com o EMPA, a pesquisadora explica que a ferramenta tecnológica atua como instrumento para medir pressão arterial, ao passo que também possibilita ao aluno atuar de maneira ativa e direta com o conhecimento. “O intuito do EMPA é tornar o aluno ativo no seu processo de ensino aprendizagem, fazendo-o interagir e ser participativo”.

Atualmente a utilização do software se restringe a alunos, pesquisadores e professores da Unifal. A intenção é disponibilizar o EMPA para a população, direcionando-o a alunos e a profissionais da saúde, por meio de lojas de aplicativos online. Destinado a dispositivos móveis e computadores, o programa de computador está registrado junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

Vantagens e benefícios

Fundamentado em evidências, o EMPA apresenta ao usuário diferenciais como recursos audiovisuais, infográficos e textuais, facilitando a apreensão do conhecimento. Diferente do esfigmomanômetro (aparelho de pressão manual) o aplicativo ensina por meio de conteúdo atualizado como medir a pressão arterial. É subdividido em seis ícones que direcionam os cuidados com o paciente: Pressão Arterial, Manguitos, Preparo do Paciente, PA na artéria braquial, PA na artéria pedial/poplítea, Registro e Classificação. Aplicável como metodologia ativa, Pereira reforça que “o EMPA é fonte primária na detecção da pressão alta. Com o aplicativo é possível medir a pressão de maneira fidedigna, ação que corrobora para o diagnóstico da hipertensão, na prevenção e nos cuidados dos pacientes.”

Essa solução está disponível na Vitrine Tecnológica. Para acessar, clique aqui.