Ciência para empoderar meninas e mulheres

Tuany Alves - 20-03-2019
671


Segundo dados da Unesco, apesar das mulheres serem metade da população mundial, elas representam apenas 28% de todos os pesquisadores do mundo. Esse índice é ainda mais baixo quando se trata das áreas de ciências exatas.

Com o objetivo de inspirar e incentivar vocações e carreiras científicas em meninas e mulheres, a FAPEMIG, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes), por meio do Programa POP Ciência, e o Museu Ponto UFMG promovem o encontro Ciência: O elemento X para meninas superpoderosas. O evento é gratuito e acontece no dia 27 de março no auditório do BDMG, a partir das 14h30. 

A conversa contará com a participação de duas pesquisadoras com diferentes histórias: Kelly Cristina Martins Faêda, doutora em Ciência e Tecnologia das Radiações Minerais e Materiais pelo Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear, e Laura da Silva Krueger, estudante de psicologia que desenvolveu pesquisa – financiada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) – sobre a Síndrome de Burnout em professores de uma escola da rede pública de Belo Horizonte. Juntas as pesquisadoras buscarão mostrar que a ciência é uma ferramenta poderosa e que precisa de mais mulheres envolvidas.

O encontro será mediado por Alessandra Ribeiro, jornalista do Programa de Comunicação Científica da FAPEMIG e produtora do livro “Mulher faz ciência: dez mulheres, muitas histórias”. Para a comunicadora, discutir mulheres e meninas na ciência permite reconhecer o trabalho que as mulheres vêm desempenhando na ciência do Brasil e do mundo.  “Existem muitas mulheres fazendo ciência de ponta e é importante divulgar esse trabalho para incentivar, estimular, outras mulheres – especialmente meninas do ensino médio e que estão pensando em que carreira seguir. Mostrar que é possível, que as mulheres também podem ser cientistas!”. 

As apresentações têm duração prevista de 20 minutos e, em seguida, haverá espaço para debate com as pesquisadoras. Os interessados podem ser inscrever aqui. 

As palestras também serão transmitidas ao vivo nas unidades Uaitec e a gravação estará disponível também para o acesso no canal do Museu Itinerante Ponto UFMG.