Demoday do Lemonade divulga as cinco startups vencedoras

Téo Scalioni - 26-06-2020
262

O programa de aceleração Lemonade realizou nesta quinta-feira o Demoday, quando divulgou as cinco startups finalistas da sua 16°edição. O projeto idealizado pela Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep)  e Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e que tem o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (FAPEMIG), tem como objetivo incentivar e apoiar todo o ecossistema de empreendedorismo e inovação no Brasil. Ao todo, para esta edição, mais de 30 startups foram selecionadas para o programa, sendo que 16 delas passaram para a fase final que contou com quase dois meses de imersão e cinco foram consideradas vencedoras e puderam apresentar seus pitchs no evento de ontem. 

Para este ano, o Lemonade foi todo projetado para se adaptar ao cenário imposto pela Covid-19 e por isso realizou suas dinâmicas 100% online, bem diferente das edições anteriores, em que o programa realiza mentorias e reuniões de forma presencial.  Até mesmo o Demoday, que sempre teve o anúncio das vencedoras em auditórios lotados, foi apresentado ontem pelo Youtube. Mesmo assim, de maneira remota, o evento não perdeu a sua característica principal de surpreender os participantes avisando na hora, como no Oscar, os vencedores de cada edição. Ontem as empresas vencedoras foram: Buy Co (que realiza intermediações para pequenos negócios); Ivy (comunicação processual inteligente); Metrópole 4 (conecta marcas a influencers digitais); OmmiLambp (realiza diagnósticos moleculares, inclusive desenvolvendo testes para a Covid-19); e Ser Solidário (captação de recursos para projetos de alto impacto social).  

O evento foi aberto pelo presidente da Fundep, Alfredo Gontijo de Oliveira que salientou a importância de programas como Lemonade que aceleram e realizam transformações que estão em curso com atividades importantes e necessárias no mundo. “Basta observar as mudanças que a pandemia está potencializando”, lembrou ele. Para Alfredo, as universidades possuem um papel importante nesse cenário pois são organizações sociais que contribuem para o processo de inovação e que está também passando por mudanças. “Não dá para ficarmos mais esperando o fluxo tradicional. Hoje as universidades, que em Minas Gerais é muita bem representada pela UFMG, precisam ir além do ensino e pesquisa, implementando a inovação”, acredita ele.       

A gerente de inovação da Fapemig, Cynthia Barbosa reforçou que para o estado e o país avançarem não há outro caminho que não seja promovendo o desenvolvimento da  Inovação científica e tecnológica. Segundo ela, a Fapemig que tem em sua missão fomentar esse desenvolvimento, incentiva inciativas como o Lemonade que apoia empreendedores a criarem empresas e startps. Para ela, as startups hoje são o novo sistema produtivo do País, por isso, a importância do papel dos empreendedores. “O Lemonade é apenas o início de um novo caminho, um ciclo. Por isso, persistam e contem com a Fapemig que estará apta a participar de ações para facilitar essa trajetória “, afirmou ela.  

Apoio para empreender 

A 16° edição do Lemonade contou com mais de 350 horas de dedicação exclusiva e mais de 130 pessoas do ecossistema envolvidas. Ao todo, foram R$ 1,4 milhões em movimentações financeiras e 17 reuniões com fundos e investidores em apenas 13 semanas de aceleração divididas em quatro etapas: modelagem de negócio; desenvolvimento de produto; projeção financeira; e  Demo Day.  Foi primeira edição equity free, ou seja , no qual não houve contra partida por parte do Lemonade para terem participação nas startups. Para Diego Ornelas , fundador da  BuyCo, umas das startups vencedoras, a empresa só tem a agradecer o aprendizado realizado nesses quase dois meses de imersão. “Transformou nosso projeto. A  gente se via mais como uma consultoria , agora mudamos para  um negócio digital,  e bem mais escalável” afirma ele. 

Em todas as suas edições o Lemonade já acelerou mais  390 startups, formou cerca de 1,5 mil empreendedores e impactou 22 mil pessoas em diversas cidades do país, como Belo Horizonte, Brasília, e  interior. Nesta edição, além da Fapemig contou com apoio do Santander Universidades;  do Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BH-TEC); do hub de inovação em bionegócios BiotechTown; e da Cervejaria Sátira.