Programa visa conectar academia e mercado

Téo Scalioni - 06-11-2020
199

Realizar a ponte entre o setor universitário e o mercado sempre foi um desafio para atores que visam desenvolver o empreendedorismo acadêmico no Brasil.  Muitas vezes, projetos oriundos de universidades e faculdades, mesmo com potencial, morrem antes de chegar ao mercado. Pensando em modificar esse cenário, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Sede) por meio da Diretoria de Indústria Criativa e Formação Empreendedora (Dice) criou o Vivência Universitária em Empreendedorismo e Inovação (Vuei).

Trata-se de um projeto que tem como objetivo apoiar o desenvolvimento dos ecossistemas de inovação e empreendedorismo nas Instituições de Ensino Superior (IES) mineiras e promover a aproximação entre o mercado e a academia. O Vuei também visa estimular a criação de projetos e negócios inovadores que envolvam ciência e tecnologia dentro das IES, despertando protagonismo, autonomia e a proatividade de alunos da graduação e da pós-graduação, bem como aumentar o número de professores com conhecimento de metodologias de ensino do empreendedorismo.

O programa é destinado a instituições de ensino superior mineiras (privadas, públicas estaduais, públicas federais), professores, estudantes de graduação e pós-graduação das IES e parceiros privados do projeto. 

O secretário-adjunto da Sede, Fernando Passalio, destaca o papel do Estado na iniciativa. Segundo ele, o projeto criará bases para que as IES possam desenvolver os próprios ecossistemas de inovação. “O projeto é baseado em ações simples, mas poderosas para apoiar a conexão com o mercado e o desenvolvimento de capacidade empreendedora e de inovação nas instituições de ensino. Não é a complexidade da ação desenvolvida, mas sim a qualidade, rapidez e consistência da execução. E o governo dará todo o apoio necessário para que a iniciativa seja produtiva”, afirma.

O objetivo do programa é fomentar políticas públicas que busquem novos processos para o desenvolvimento econômico. “Somos o estado com o maior número de universidades públicas do país. O Vuei é a chave para acelerar e expandir a formação dos profissionais ainda dentro da instituição de ensino. Isso é feito diretamente pela capacitação e aproximação de estudantes das demandas e necessidades que o mercado tem”, avalia o subsecretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Rodrigo Mascarenhas.

De acordo com Luiza Freire Coelho, que faz parte da Diretoria de Indústria Criativa e Formação Empreendedora da Sede, no total para essa rodada serão 60 professores e mais de 130 alunos formando times universitários do projeto. Além disso, centenas de alunos colaboradores irão trabalhar em prol da inovação e empreendedorismo nas universidades mineiras. “Trabalhando nesta rodada que o ciclo termina em julho de 2021, temos 22 IES, sendo sete federais, duas estaduais, um Instituto Federal e 12 privadas”, orgulha-se.

Conforme explica Luiza, uma das expectativas do Vuei é a formação de estudantes e novos talentos com mentalidade empreendedora para serem protagonistas em qualquer esfera da sociedade. Com isso, espera-se o maior desenvolvimento de ecossistemas empreendedores e estímulo à criação de ambientes inovação dentro das IES e consequentemente do Estado. “Proporcionando além da geração de negócios inovadores, o fomento a criação de rede e compartilhamento do conhecimento”, acredita ela.


Cronograma e funcionamento do projeto 

O projeto divide-se em quatro momentos (alguns deles simultâneos): a preparação, em que será realizado um diagnóstico dos níveis de maturidade dos ecossistemas, a formação de times universitários e a construção de planos de ação nas IES; o desenvolvimento, em que serão disponibilizados conteúdos estratégicos em trilhas de aprendizagem e promovidas as conexões dos pares para compartilhamento de boas práticas; o acompanhamento, que garantirá o suporte para execução dos planos de ação com excelência e oferecerá oportunidades de parcerias para o avanço dos ecossistemas; e o reconhecimento, em que serão premiados os professores, alunos voluntários, projetos, parcerias e ecossistemas destaque no âmbito do projeto.

A iniciativa do VUEI reforça uma demanda do próprio mercado, que sente o distanciamento com as academias. Dados do Endeavor indicam que apenas 38% das Instituições de ensino superior promovem iniciativas ligadas ao empreendedorismo, realidade que tende a mudar com o projeto.