Plataforma mineira auxilia na luta contra o assédio

Téo Scalioni - 18-06-2021
357

Um estudo feito pelo Vagas.com mostrou que 52% dos trabalhadores brasileiros já sofreram algum tipo de assédio no ambiente de trabalho e 87,5% dos assediados não denunciaram por não terem um canal de comunicação adequado. Muitos ainda não sabem identificar se foram vítimas em alguma situação de assédio moral ou sexual no ambiente de trabalho. Outra dificuldade é saber como se proteger ou mesmo denunciar situações desse tipo.

Com o objetivo de ajudar pessoas que sofrem com esse problema, uma startup mineira criou uma plataforma para que as denúncias possam ser feitas de forma anônima. Trata-se da Ouvidor Digital, que já disponibiliza seu uso para cerca de 1 milhão de pessoas e que recebeu mais de cinco mil denúncias nos últimos três anos. A empresa foi selecionada para participar da última edição do Seed – programa de aceleração de startups idealizado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede) com o apoio FAPEMIG. 

De acordo com Chief Marketing Officer (CMO) da Ouvidor Digital, Daniel Dabés, a ideia do Ouvidor Digital surgiu por meio de uma observação do mercado de canais de denúncias. Os idealizadores do projeto notaram que empresas tradicionais desse setor não conseguiam ofertar uma solução aderente para médias e pequenas empresas. Com isso, resolveram se aliar à tecnologia para abrir esse novo canal  “Nossa solução de denúncias é pioneira na utilização de automação conversacional com inteligência artificial e chatbot. Ajudamos nossos clientes a reduzir casos de assédio, fraude ou qualquer outro desvio ético no ambiente corporativo”.

No modelo de negócio, a startup optou em cobrar uma mensalidade dos clientes, no caso as empresas que contratam os serviços da Ouvidor Digital e o disponibiliza para os colaboradores. Daniel explica que as empresas vêm adotando a plataforma, como um meio de receber denúncias sobre diversos tipos de assédios, que possam estar acontecendo dentro do ambiente de trabalho. Segundo ele, há empresas de pequeno a grande porte, que utilizaram a tecnologia como aliada para coibir situações de assédio no meio coorporativo. “Atualmente existem recursos tecnológicos que garantem a privacidade de quem faz a denúncia. Com a plataforma, qualquer pessoa pode fazer a denúncia sem ser identificada”, orgulha-se.

Agora que foi aprovada no Seed, a Ouvidor Digital pretende expandir ainda mais a sua atuação. A empresa, que está situada em Belo Horizonte, mas já conta com escritórios em Florianópolis e atende clientes em todo Brasil, Argentina e Estados Unidos, irá atingir novos públicos. Dentre eles, demandas para gerenciar melhor os incidentes de LGPD e também para empresas que necessitam de serviços de ouvidoria. No Seed, por exemplo, a proposta é ajudar o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) na melhoria do processo de captação de relatos de doenças animais que ocorrem no campo. “Estamos desenvolvendo uma conversa inteligente que por meio da inteligência artificial e chatbot extraímos um detalhamento mais preciso dos relatos”, explica.

Como foi falado, o Ouvidor Digital utiliza de inteligência artificial e uma tecnologia de ponta para que as empresas possam adotar e implantar a ferramenta para que as denúncias possam ser feitas e apuradas. A plataforma oferece três opções de canais para que as denúncias sejam realizadas - Web, telefone ou pelo WhatsApp. Para facilitar a compreensão do que é assédio moral, a equipe desenvolveu um e-book – Guia de Prevenção ao Assédio no Trabalho, para orientar as empresas.

Assédio 
Mesmo com o trabalho sendo realizado no modo home office, os assédios ainda acontecem. De acordo com uma pesquisa feita pelo Instituto Think Eva com o Linkedin, houve um crescimento de 55%, entre março de 2019 e março de 2020 nos assédios . A pesquisa também realizada apontou uma situação de medo e insegurança para denunciar. A cada seis mulheres que são vítimas de algum tipo de assédio, uma acaba pedindo demissão e apenas 5% delas denunciam.

O assédio moral se caracteriza por situações repetitivas e prolongadas em que a pessoa é exposta a constrangimento, humilhação, piadas e outras atitudes no ambiente de trabalho, o que além de provocar abalo emocional, prejudica as atividades profissionais. Outra situação constrangedora é o assédio sexual, que são atitudes com palavras, gestos ou atos, em que uma pessoa superior utiliza de sua posição na empresa para obter vantagem ou favorecimento sexual perante a vítima.