Parceria entre UFV e multinacional finlandesa acelera novas tecnologias para setor de celulose

Téo Scalioni - 24-09-2021
788
O Laboratório de Celulose e Papel da Universidade Federal de Viçosa (UFV) é reconhecido por contar com uma estrutura que possibilita a realização dos principais ensaios e análises de celulose e papel, bem como a produção em escala laboratorial das soluções para esse mercado. Recentemente, o laboratório da universidade adquiriu um equipamento da Valmet para a análise em alta definição de fibras de celulose, o Valmet Fiber Image Analyzer (Valmet FS5).

O objetivo da instituição é aumentar a faixa de análise com um recurso prático, moderno e tecnologicamente avançado. “Precisávamos de uma solução que facilitasse nossos projetos de pesquisa e nos permitisse aprimorar os serviços oferecidos pelo laboratório. Existia também uma demanda por realizar as análises morfológicas do material fibroso de forma mais eficaz, com menor pressão a tempo e reagentes, e com entrega de resultados confiáveis. Escolhemos o Valmet Fiber Image Analyzer para conseguir rapidamente soluções bastante seguras que, de outra forma, seriam obtidas mais lentamente e com maior custo”, afirma a professora da Universidade de Viçosa, Ana Márcia Ladeira Carvalho.

Em constante busca por desenvolver novas tecnologias e gerar dados que possam trazer benefícios para a indústria brasileira de papel e celulose, a UFV procurou o conhecimento da morfologia das fibras de celulose para apresentar novas e relevantes informações para o mercado.

Análise morfológica de fibras?
Anteriormente, a universidade utilizava um microscópio óptico para realizar análises morfológicas, no qual cerca de 100 unidades de fibra eram medidas e avaliadas. O material passava por um processo de coloração e preparação minuciosa das lâminas. Um dos grandes desafios era a garantia de uma amostra representativa dos materiais analisados. Com a alta demanda dos alunos pela realização de projetos de pesquisa e das empresas para as quais o laboratório presta serviços, a quantidade de material a ser analisado e o tempo necessário para a entrega das medições eram consideráveis.

O novo analisador da Valmet permite que acadêmicos e pesquisadores adquiram dados que podem ser cruciais para a pesquisa. As pesquisadoras Julia de Cristo Figueiredo e Maria Tereza Angeletti Nunes aprovaram o uso do novo analisador na rotina das análises. “O equipamento foi a melhor opção disponível no mercado para a análise morfológica de fibras, entregando resultados confiáveis e de alta qualidade com fácil preparo de amostras. O equipamento pode avaliar milhares de fibras de uma única amostra com medições baseadas em um padrão de treinamento altamente sensível, criado por uma ferramenta de ensino baseada em rede neural. Esses métodos produzem resultados exatos e consistentes com a composição real do material. Além disso, a possibilidade de ordenar o equipamento para análises em materiais de diferentes origens amplia as possibilidades de pesquisa”, concordam as pesquisadoras.

Colaboração entre especialistas
Além do comissionamento rápido e do treinamento básico do usuário, o corpo técnico da Valmet também compartilhou seu conhecimento e sua experiência em medições e resultados. Por meio de uma colaboração próxima, as equipes da empresa e da universidade foram capazes de entender de forma mais ampla quais respostas estão disponíveis a partir do uso do equipamento, assim como tirar o máximo proveito dele. Ao utilizar a conexão remota com o analisador, a Valmet pôde dar suporte à universidade de maneira eficiente e definitiva.“A Valmet ministrou treinamentos sobre a operação correta dos equipamentos, e suas equipes estiveram sempre à nossa disposição para esclarecer quaisquer dúvidas, além de garantir a manutenção regular dos equipamentos”, afirma o professor titular da Universidade de Viçosa, Luciano Sabioni.