Governo libera mais de R$ 2 mi a projetos para enfrentar à pandemia

Assessoria de Comunicação - 29-07-2020
468

O Governo de Minas liberou  R$ 2.036.740,80 para financiar projetos com soluções para o enfrentamento à pandemia. A iniciativa é resultado do mapeamento de soluções de ICTs e empresas mineiras para auxílio no combate à Covid-19, lançado em março deste ano pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas (Fapemig).

Ao todo, dos 71 projetos inscritos, sete foram selecionados para receberem o apoio financeiro. As propostas, submetidas por meio de formulário, foram avaliadas em caráter preliminar quanto à relevância e viabilidade financeira diante do contexto da crise, considerando as visões da Saúde e do Desenvolvimento Econômico.

As avaliações da primeira fase foram feitas por um comitê composto por representantes da Sede, Fapemig, SES, Fhemig e Funed, que classificou 17 projetos como prioritários. Em sequência, os selecionados foram avaliados nos aspectos de inovação e pertinência científica, para instrução do processo e repasse financeiro à empresa ou ICT, restando nos sete finalistas, que receberam o apoio financeiro. Além desses, outros receberam apoio da Sede e Fapemig para articulação.

O projeto mais bem avaliado foi Ultrassonografia ultraportátil à beira do leito com suporte de telemedicina para triagem de pacientes com covid-19. O estudo em andamento realiza exames baseados no ultrassom (como o ultrassom pulmonar e principalmente o ecocardiograma), para diagnóstico de condições cardíacas e não cardíacas a distância.

“Especificamente para pacientes covid-19, propomos desenvolver uma plataforma para que os profissionais do estudo (médicos e não médicos) ou mesmo profissionais dos hospitais e unidades covid-19 realizem a aquisição de imagens de ultrassom e eco com aparelhos ultraportáteis, a beira do leito, e façam upload destas imagens, para interpretação a distância por especialistas, por telemedicina”, detalha Bruno Ramos Nascimento, cardiologista, professor-adjunto da Faculdade de Medicina da UFMG e diretor do projeto Provar+, de rastreamento ecocardiográfico.

Ainda de acordo com o profissional, os aparelhos são o GE VSCAN, do tamanho de smartphone grande, e de fácil operação. Existe um sistema de upload através de qualquer internet, e o diagnóstico pode ser feito de qualquer computador. “É uma plataforma similar à já utilizada para exames de ecocardiograma realizados pelo projeto em escolas e na atenção primária, adaptado para a realidade da covid-19 para prover uma forma rápida e com menor risco de contaminação para diagnóstico de acometimento pulmonar e cardíaco pela doença”, explica.

O apoio financeiro que o Governo acaba de liberar para o projeto será destinado à aquisição de equipamentos adicionais para extensão do projeto e auxílio a mais unidades e pacientes, além de desenvolvimento de um curso para profissionais de saúde, aquisição de protocolos de imagem à beira do leito para que eles mesmos façam as aquisições.

Bruno Ramos afirma que o financiamento permitirá a continuação do desenvolvimento de um sistema computacional que visa ao diagnóstico automatizado de alterações nos exames de eco e ultrassom, a fim de que, num futuro, tenha-se um aplicativo embarcado nos dispositivos, para sinalização em tempo real de alterações, de forma a alertar os profissionais de saúde, além do desenvolvimento da plataforma de inteligência artificial, em colaboração com o Departamento de Ciências da Computação, para aplicação em outras áreas relacionadas aos exames de imagem, no futuro próximo.

Para a diretoria de Fomento à Pesquisa e Transferência de Tecnologia da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sede), Marina Brandão Dutra, foi um grande esforço para reunir atores que trouxessem a perspectiva da saúde, economia e inovação, permitindo a seleção de projetos estratégicos para o enfrentamento da situação da pandemia. “Nossa expectativa é que as iniciativas tragam avanços relevantes e contribuam para o aprimoramento das ferramentas de monitoramento, diagnóstico e tratamento da covid-19".

Marina salienta o trabalho desenvolvido pela Sede e Fapemig, que juntas, concluíram mais uma entrega do Estado, sendo a Sede responsável pela execução e avaliação dos projetos na fase de mapeamento, e articulação para os projetos que não necessitaram de apoio financeiro, e a Fapemig na operacionalização da Chamada, viabilizando a análise técnica e formalização.

Além do mapeamento, as instituições inscritas foram adicionadas ao portal do Sistema Mineiro de Inovação (Simi), onde estão compiladas as principais informações sobre o ecossistema de inovação mineiro.

Portal Simi – Especial Coronavírus

Diante do atual cenário mundial, o Portal Simi, que reúne em um só local as principais informações sobre empreendedorismo, ciência, tecnologia e inovação, está com uma área especial. A aba "Covid-19" já está liberada à população, que terá acesso às notícias relevantes para o ecossistema de inovação mineiro nesta temática da Covid-19.

O Portal também disponibiliza todos os editais e oportunidades que estão em aberto para o enfrentamento do novo vírus. E não para por aí. Startups com soluções que podem minimizar a propagação do coronavírus ou minimizar os efeitos da pandemia podem se cadastrar no site para fortalecer a rede de combate. Podem se cadastrar startups que ofereçam soluções para o isolamento social, como em entrega (delivery), em e-learning (aprendizado a distância), em saúde remota, em trabalho remoto, smart cities (cidades inteligentes), dentre outras, principalmente associados ao combate a propagação do vírus, como soluções relacionadas a imunização, minimização de sintomas, eficiência em testes rápidos para o coronavírus.

Fonte: SEDE