Empresa mineira cria dispositivo contra o coronavírus para bebedouros

Téo Scalioni - 13-11-2020
195

Com a pandemia da Covid-19, a busca por soluções que ajudem a evitar a disseminação do vírus se tornou uma verdadeira caçada. A empresa mineira Beloar criou o ÁguaàLaser, um dispositivo inovador, que pode ajudar a frear o aumento de contaminações via contato físico. O equipamento que foi concebido antes do surto de coronavírus por demanda do setor de frigoríficos, ficou mais importante nestes tempos em que todas as medidas de higienização são primordiais para conter o avanço do vírus.

A invenção, que foi patenteada pela empresa, consiste em um sensor infravermelho que detecta quando a mão se aproxima do bebedouro, o que libera o líquido sem a necessidade de tocar em botões, abrir ou fechar a torneira. O dispositivo foi desenvolvido com o objetivo de evitar a contaminação cruzada em frigoríficos, de animais para pessoas ou vice-versa. “Essa demanda partiu de grandes empresas que solicitaram um produto touchless, que permitisse a retirada de água para consumo humano sem precisar encostar”, conta Muriel Ornela, CEO da Beloar.

De acordo com Muriel, a instalação do dispositivo gera grandes benefícios para a sociedade. Segundo ele, o fato de evitar a disseminação de vírus e bactérias impacta diretamente na saúde pública. Conforme explica, basta pensar em quantas pessoas apertam os botões do bebedouro de um shopping ou hospital diariamente? “Imagine em comércios e indústrias que manipulam alimentos, como é delicada essa questão sanitária? Outro importante ganho é a acessibilidade e inclusão social, já que idosos e pessoas com deficiência poderão utilizar a torneira com muito mais facilidade”, destaca o empreendedor. 

O processo de criação do produto foi iniciado em 2019. Em conversava com o primo, especialista em engenharia de hardwares e softwares para máquinas e robôs de grandes indústrias, Muriel falou sobre uma solicitação de uma grande indústria do setor frigorífico. Na demanda, os órgãos governamentais exigiam que os bebedouros de água fossem sem contato, visto que ali era um local que precisava do máximo de higiene e poderia ser transmitido doenças das carnes dos animais para os humanos, e vice e versa. “Citei que estávamos estudando formas de criar esse produto e ele sugeriu um bebedouro que liberasse a água por aproximação, via sensor de presença”, lembra o empresário.

O que ninguém esperava é que em março deste ano fosse iniciada a pandemia. Assim quando foi divulgado o primeiro caso do novo coronavírus no Brasil, Muriel entrou em contato com o primo e disse que precisava montar uma equipe de engenharia de desenvolvimento de produtos para criar esse novo equipamento, pois, como um dos principais meios de transmissão da doença é por contato, e o bebedouro é coletivo e de uso comum, seria necessário desenvolver um equipamento que não precisaria de encostar a mão para sair água. 

Desde então se iniciou o desenvolvimento do ÀguaàLaser. “No início pensamos em criar o bebedouro completo com sensor, mas achamos que sairia muito caro para o consumidor e não serviria para quem já tinha o equipamento. Assim, achamos melhor criar torneiras com sensor adaptáveis para todos os modelos de bebedouros”, observa.

Expansão no mercado

O ÁguaàLaser começou a ser comercializado em junho deste ano e já foram instaladas mais de 200 unidades em todo o Brasil. A produção é realizada na fábrica da Beloar, em Belo Horizonte. A comercialização se iniciou na região metropolitana da capital mineira , mas a expansão está sendo planejada por meio de revendedores e especialistas dos segmentos de bebedouros, material de construção e acabamentos dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, Espírito Santo e Bahia. Outras regiões também deverão ser atendidas em breve.

 Há uma encomenda de 2.000 peças para duas universidades federais e a meta é de 10.000 unidades comercializadas até o fim do ano.  “Visto que as orientações do MEC para o retorno das aulas exige o isolamento dos bebedouros para que ali não seja um ponto focal de contaminação pela Covid-19, transformar os bebedouros comuns (com toques) em touchless trará comodidade e um mínimo de condições para a retomada das aulas, ao oferecer água potável com segurança”, acredita.

A Beloar desenvolveu quatro tipos de torneiras com sensor que se adaptam aos principais bebedouros do mercado: bebedouro industrial, bebedouro de pressão, bebedouro acessível e bebedouros de galão. Além disso, a empresa percebeu que poderia criar um adaptador universal para transformar torneiras comuns em torneira de sensor, visto que os produtos semelhantes do mercado são muito caros. Na loja on-line o dispositivo sai por cerca de R$ 250.