Manuscritos musicais dos séculos XVIII e XIX são disponibilizados gratuitamente

Sociedade Artística Brasileira - 16-06-2021
374

Gosta de história e de música? A plataforma “Tesouros Musicais Brasileiros”, da Sociedade Artística Brasileira (SABRA), disponibiliza manuscritos musicais dos séculos XVIII e XIX e permite um mergulho nas produções artísticas de Minas Gerais do período. A iniciativa inédita, de um banco de dados gratuito e de fácil acesso, tem o objetivo de democratizar o acesso às obras a musicólogos, historiadores e amantes da música em geral.

Ao todo, são 375 manuscritos e 76 compositores identificados. As partituras integram o acervo do Maestro Vespasiano Gregório dos Santos, pianista e diretor de orquestras na época do cinema mudo, que herdou e conservou os manuscritos do seu pai adotivo, José Nicodemos da Silva. Ao longo de sua vida como regente, violoncelista, compositor e professor, o maestro José Nicodemos se apresentou em diversas cidades mineiras e no Rio de Janeiro. Os documentos de seu acervo refletem a religiosidade presente na música produzida nos séculos XVIII e XIX, em Ouro Preto, e no início do século XX, em Belo Horizonte. Além do gênero religioso, há partituras para bandas de música, música de câmara e de salão. 

A plataforma pode ser acessada no endereço tmb.sabra.org.br. No site, é possível consultar itens por título, compositor, instrumento, entre outros.

Pioneirismo
O Catálogo de Manuscritos Musicais foi inicialmente divulgado em 1999, pelo maestro e presidente da SABRA, Márcio Pontes, à época professor e pesquisador da Universidade do Estado de Minas Gerais (UFMG). O projeto, financiado pela FAPEMIG, é considerado pioneiro nos estudos relacionados a acervos musicais do país, inspirando iniciativas semelhantes, como os acervos dos Museus da Inconfidência, de Arte Sacra de Ouro Preto e da Música de Mariana. 

Saiba mais aqui.


Fonte: SABRA