Programas buscam startups para o agronegócio e pequenas empresas

Téo Scalioni - 02-06-2021
692

O setor do agronegócio é de grande importância para a economia brasileira. Representa 26,6% do PIB do país, segundo dados de 2020 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Em 2020, avançou 24,31% em relação a 2019. Em valores monetários, o PIB totalizou R$ 7,45 trilhões em 2020. E o PIB do agronegócio chegou a quase R$ 2 trilhões. Nesse contexto, cabe acrescentar que há, no Brasil, 1.125 Agritechs, empresas de tecnologias voltadas para o agronegócio. No entanto, apesar da expansão, ainda é um setor carente de novas tecnologias. Além disso, a Covid-19 desencadeou uma crise em toda a economia. E o mercado do agronegócio tem sofrido movimentações de grandes proporções.

A NovoAgro Ventures surge nesse cenário. Lançada em 2020, trata-se de um fundo de investimentos baseado no modelo Venture Builder do setor de agronegócios. É o primeiro do Brasil que seleciona inovações aplicadas e startups e investe em empreendedores pelo propósito do negócio com foco na geração de valor para o mercado. 

A Iniciativa é uma parceria entre o Sistema Faemg/Senar/Inaes Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (FAEMG/SENAR/INAES), que possui mais de 400 mil produtores associados, e a FCJ Venture Builder, maior rede de Venture Builder da América Latina."Nosso objetivo é incentivar startups que busquem soluções para o setor. Precisamos de ideias inovadoras e empreendedores engajados. E, com isso, fazer com que o agronegócio cresça ainda mais e de forma sustentável", explica Léo Dias, CEO da NovoAgro Ventures. "A revolução começa com uma pequena semente”, complementa.

Léo Dias acrescenta que o Sistema Faemg já mapeou várias necessidades do agro. "Agora, nosso foco é investir em empresas que têm soluções tecnológicas que resolvam essas questões de forma escalável, pois muitas das necessidades são comuns à maioria dos produtores", diz. 

Vale lembrar que, ainda mais nesse período de crise, a produção agropecuária não pode parar. "Agropecuária e logística são essenciais na manutenção dos supermercados abastecidos. Seguram a falta de suprimentos na pandemia. E nesse processo, tecnologias e inovação são indispensáveis à busca de soluções para o momento", afirma Léo Dias.

O projeto procura soluções como softwares para o setor; iniciativas voltadas para a criação de alternativas energéticas; aproveitamento de resíduos; controle ambiental; monitoramento e comercialização; biotecnologia e sementes. A NovoAgro Ventures oferece, às startups selecionadas, conexão entre os diferentes parceiros e entidades do agronegócio para potencializar a entrada no mercado (go-to-market). E conexão com fundos de investimento; rodadas de negócios; mentorias; campanhas de marketing com força de vendas; facilidade para entrada em programas de incentivo e ampla exposição de mídia. Clique aqui para saber para saber mais sobre o programa. 

Inovação para pequenas empresas 

Outra chamada pública que está aberta é a de Subvenção de Serviço Digital de Respostas Técnicas realizada pelo Sebrae. O seu objetivo é o desenvolvimento de um serviço digital de automatização do processo de interpretação e resposta a dúvidas técnicas e/ou empresariais dos pequenos negócios.  Poderão concorrer a esta Chamada Pequenos Negócios sediados no Brasil,  que não tenham e não captado recursos de outros editais/chamadas do SEBRAE ou SEBRAE/UF que estejam com projetos em andamento ou com prestação de contas pendente. 

Dentre a solução esperada está  um serviço digital que permita aos pequenos negócios obter as melhores, mais adequadas e compreensíveis respostas para dúvidas técnicas sobre seus negócios. Essas respostas podem compreender dicas, formas de operação, melhores práticas, informações sobre normas técnicas, regulamentos, novos processos e/ou procedimentos ideais, e outras informações úteis que melhorem a operação e a competitividade do pequeno negócio. 

A solução deve ser capaz de trazer mais inteligência e automação ao processo de consultas técnicas dos Pequenos Negócios. O serviço automatizado deve, para tanto, consumir informações constantes de bases de dados gratuitas disponíveis no mercado. Como input inicial e obrigatório, o Sebrae disponibilizará o acesso às bases de dados do SBRT e do Sebrae Respostas. No entanto, é desejável que o serviço possa também se utilizar de outras fontes primárias existentes, como exemplo a base de patentes. 

O projeto pode ter interface própria, desde que seja “white label”, ou seja, adaptável à identidade visual do Sebrae para que também possa ser disponibilizada no Portal Sebrae e outros canais de atendimento. Ela deve apresentar modelo de negócio sustentável, cuja monetização poderá vir de versões com funcionalidades gratuitas e outras pagas. A versão gratuita deverá permitir o acesso às respostas técnicas extraídas e compatibilizadas por meio do uso de inteligência artificial e outras técnicas de análise e processamento de dados. Espera-se, ainda como disponível na versão gratuita, relatório sobre as dúvidas técnicas mais frequentes de determinados setores/segmentos de mercado. As inscrições vão até o dia 18 de junho. 

Clique aqui para saber mais sobre o edital do Sebrae.

.Com assessoria NovoAgro