Projeto mineiro busca diminuir contágio pela covid

Téo Scalioni - 25-06-2021
467

Com a vacinação avançando, as escolas públicas e particulares de Belo Horizonte começaram a receber estudantes para as aulas presenciais. Mesmo com os rígidos protocolos exigidos pela Prefeitura Municipal, algumas instituições de ensino estão investindo ainda mais na segurança da comunidade escolar em prevenção à covid-19, além dos protocolos básicos como uso de máscara e álcool em gel.

Um exemplo é a instalação de bebedouros especiais que ajudam a diminuir a proliferação da doença. É o caso do AguaàLaser, um projeto desenvolvido na capital mineira e que já foi patenteada. O aparelho consiste em um sensor infravermelho que dispensa o contato com torneiras e botões para pegar água em garrafas e copos. Com a instalação do equipamento, que pode ser adaptado em qualquer tipo de bebedouro, o risco de ser contaminado por qualquer microrganismo que esteja na superfície diminui bastante. 

Para se ter uma ideia, antes mesmo do recomeço das atividades presenciais, algumas escolas, faculdades, repartições públicas, indústrias e empresas em geral estavam adotando a tecnologia. Em Belo Horizonte, 40 escolas públicas e 36 instituições de ensino particulares adquiriram.  Ao todo já foram vendidas mais de 2.500 unidades para todo o Brasil desde o início da sua comercialização, em junho de 2020.     

Segundo Muriel Ornela,  CEO da empresa Beloar que produz o equipamento, o aparelho consiste em um sensor infravermelho que dispensa o contato com torneiras e botões para pegar água em garrafas e copos - com a instalação, que pode ser adaptado em qualquer tipo de bebedouro. “O uso do bebedouro com jato inclinado, aquele em que a pessoa bebe água direto da bica e que o contato manual para o acionamento da torneira é necessário, não é recomendado pela Anvisa e já foi proibido pela Prefeitura de Belo Horizonte”, afirma ele.

Conforme explica Muriel, o produto não se trata de um bebedouro novo, e sim algo que é adaptado aos já existentes, ou seja, não é necessário interditá-los ou comprar bebedouros novos. Ele acredita que a adaptação com o sensor touchless, também elimina a necessidade de instalação de pia, dispensador de álcool ou qualquer outra substância ao lado do bebedouro, pois os usuários pegam a água em recipientes individuais sem precisar tocar em nada. “Muitas vezes, o brasileiro possui o hábito de não agir preventivamente. Nossa tecnologia já deveria existir, pois todo mundo encosta a mão nos bebedouros para beber água, o que é algo muito anti-higiênico”, alerta.

O empreendedor observa que ao evitar o contato físico com superfícies, o benefício vai além de evitar a covid 19, pois várias outras doenças podem ser evitadas, principalmente no inverno, quando há um aumento de circulação de vírus e casos de doenças respiratórias também causadas por fungos e bactérias.

Inclusão social e acessibilidade

Além de evitar a contaminação por doenças, o ÁguaàLaser proporciona outros benefícios importantes, como a melhoria na acessibilidade para pessoas com deficiência. “Além da covid-19 e prevenção de vírus, o produto atua também na linha do importante assunto que é um dever de todos: contribuir para que a sociedade seja mais inclusiva. Com a liberação do fluxo de água por sensor de aproximação, idosos, pessoas que sofreram AVC ou a perda de movimentos, cadeirantes e pessoas amputadas poderão consumir água com mais facilidade", orgulha-se Muriel.  Isso acontece   pelo pelo fato que, diferente dos bebedouros convencionais, só será preciso usar uma das mãos para beber água, ou seja, bastará aproximar o copo ou garrafinha à frente da torneira de sensor que a água sairá, gerando uma maior independência e aumentando a autoestima das pessoas com necessidades especiais.

A Beloar desenvolveu três tipos de torneiras com sensor que se adaptam aos principais bebedouros do mercado: bebedouro industrial, bebedouro de pressão e bebedouro acessível. Esses modelos são os mais comuns, pois são ligados na rede hidráulica e abastecidos por água encanada, previamente tratada pela estação de tratamento da cidade.