Startup apoia cafeicultores afetados pelas geadas

Teo Scalioni - 26-08-2021
403

Todos sabem que o frio muitas vezes é inimigo das plantações. Nesse inverno, a temperatura baixa com geadas prejudicou bem as colheitas em todo o Brasil. Para se ter uma ideia, segundo dados divulgados pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), 257 municípios mineiros sofreram com geadas no último mês, o que impactou uma área ocupada com grãos que foi de aproximadamente 192.062 hectares (17,8% do total). 


Com isso, a cafeicultura brasileira passou a buscar formas de enfrentar os impactos das geadas ocasionados aos pés do café e diminuir perdas futuras. Uma das soluções foi a polinização assistida inteligente, oferecido pela startup AgroBee – (agritech) que promove a integração entre produtores rurais e criadores de abelhas. No processo, no qual vislumbra-se um melhoramento genético gerado pela polinização cruzada realizada pelas abelhas, observou-se que mesmo com as geadas, houve um aumento de 20% na produtividade – o que equivale a 12 sacas de café a mais por hectare em comparação as áreas que não receberam as abelhas. 


De acordo com Andresa Berretta – Co-fundadora da AgroBee, a literatura científica já apresentava dados importantes de aumento de produtividade com a utilização das abelhas para o Café Arábica, mesmo sendo uma cultura que se autopoliniza. Com isso, a startup percebeu uma excelente oportunidade de agregar valor ao café por meio do melhoramento genético gerado pela polinização cruzada realizada pelas abelhas. “Os resultados têm sido incríveis. Ano-a-ano estamos ampliando a área e aumentando as médias produtividade no Café Arábica que foram de 17% na safra de 2019/2020, e 18% na safra 2020/2021”, comemora ela. 


Segundo Andresa, outro ponto importante de ser ressaltado foi a melhoria na qualidade do grão na área polinizada. Ela exemplifica que resultados de análise da qualidade da bebida indicaram um aumento de três pontos para o café que teve a polinização assistida e inteligente, marcando 85 pontos versus 82 da área de controle, - que são os locais da mesma propriedade que não receberam as abelhas. “Sem falar que a presença das abelhas traz ainda um importante agregado de valor que é a sustentabilidade, pois as abelhas são bioindicadores da qualidade ambiental”, reforça ela, salientando que os serviços com as abelhas geram mais café sem a necessidade de mais área, água, e com menor geração de CO2 para o meio ambiente.


Andresa explica que o serviço de polinização assistida pode ser implementado em diversas culturas agrícolas “polinizáveis”, além do café. Ela cita como exemplo, o abacate, canola, girassol, morango, soja, maçã, dentre outras.  Segundo ela, em todas essas culturas mencionadas há uma melhora ou relacionada ao aumento de produtividade ou na qualidade dos frutos/grãos. “E ao conectarmos os criadores de abelhas com os produtores, promovemos sustentabilidade social, gerando uma renda extra nas entressafras para os apicultores e criando uma fonte de renda para meliponicultores”, acredita.


Ajuda por conta do frio 


Justamente para ajudar os cafeicultores afetados, a AgroBee - ofereceu os serviços de polinização assistida inteligente com desconto de até 5% por hectare durante todo o período da florada, entre os meses de setembro e novembro. De acordo com Guilherme Sousa, CEO da AgroBee, todos os cafeicultores que tiveram mais de 10% da área afetada pelas recentes geadas, principalmente nos estados de Minas Gerais e São Paulo, com laudo comprobatório, podem procurar a empresa para ter o desconto disponibilizado na contratação do serviço de polinização assistida inteligente, pois não basta colocar as abelhas na propriedade, é preciso trabalhar com técnica e fornecedores qualificados, para que o serviço seja realizado de forma eficiente. "A quantidade de hectares a ser polinizado depende da necessidade de cada um, há produtores com 10 hectares polinizados e até mais de 100 hectares", explica Guilherme. 


Uber das abelhas 


Com o pensando em crescer ainda mais, a empresa tem investido em ferramentas digitais para que a escalabilidade seja atingida com a máxima brevidade. O aplicativo da AgroBee terá oportunidades ainda para que um dia venha a ser o “Uber das Abelhas”. “Temos uma previsão de lançamento de uma versão mais intuitiva e mais fácil manuseio pelos usuários para as próximas semanas, mas isso ainda está longe das nossas ambições”, explica Andressa. 


Segundo ela, a startup pretende que as ferramentas de inteligência artificial (IA) sejam ativadas para que a auditoria das colmeias seja realizada pelo próprio apicultor por meio do uso da câmera do celular. Conforme explica, essa função do App está sendo realizado em parceria com o CPQD, um dos maiores centros de pesquisa e desenvolvimento da América Latina e tem previsão para ser implementado em 2022. “Isso irá reduzir a necessidade de visita do nosso time à propriedade no momento da instalação das colmeias, promovendo uma redução de custos e maior agilidade.”, observa.