Divulgação científica é tema de chamada da FAPEMIG

Assessoria de Comunicação Social FAPEMIG - 29-03-2022
1527

A ciência está presente no dia a dia de todas as pessoas: nos medicamentos mais eficazes, nos alimentos mais saudáveis, nos meios de comunicação mais velozes, na maior competitividade da indústria, dentre muitos outros. Divulgar e democratizar informações de qualidade sobre a produção do conhecimento científico e tecnológico significa, assim, dar a oportunidade a mais pessoas para discutir, opinar e fazer escolhas embasadas sobre temas relacionados à ciência, tecnologia e inovação (CT&I).

A fim de estimular ações de divulgação científica – aquelas que têm como alvo o público não especializado –, a FAPEMIG acaba de lançar sua chamada 05/2022, do Programa de Comunicação Pública da Ciência e Tecnologia: “Apoio a Ações de Divulgação da CT&I”. Prevê-se o investimento de R$6 milhões em projetos que podem ser apresentados por Instituições Científicas, Tecnológicas e de Inovação de Minas (ICTs MG), órgãos e entidades da administração pública estadual e entidades privadas sem fins lucrativos.

As propostas devem ser relacionadas a uma das quatro linhas temáticas definidas, que abrangem a realização de exposições, cursos e atividades afins, produção de materiais e produtos, pesquisas sobre a temática e apoio às estruturas de comunicação das ICTs e dos espaços de ciência sediados em Minas Gerais.

O prazo para envio de propostas segue até 30/5/22, por meio do sistema Everest. A chamada pode ser acessada aqui.

MAIS RECURSOS
A última chamada da FAPEMIG para apoio a projetos de divulgação científica foi lançada em 2015. Após esse hiato de sete anos, ela volta mais completa e com maior previsão de recursos, como destaca a assessora de comunicação da FAPEMIG, Vanessa Fagundes. “Temos uma grande quantidade e variedade de grupos e de profissionais que trabalham com ações de divulgação científica em Minas. Esperamos que eles respondam à chamada com projetos inovadores e de impacto, contribuindo para fortalecer a cultura científica no Estado”.

Uma novidade é que propostas que envolvam mais de uma instituição ou que sejam de grupos transdisciplinares terão um acréscimo de 10% em sua pontuação para efeitos de ranqueamento. “A valorização de propostas em rede tem como objetivo estimular o trabalho conjunto e o compartilhamento de infraestrutura e de experiências. Acreditamos que, dessa forma, as iniciativas podem se fortalecer e atingir um público mais expressivo”, explica Vanessa. Outro ponto que merece atenção é o item 4.2.7, que trata da previsão de entrega de um produto ou material de divulgação científica, além do pitch. A ideia é que esse material, a ser definido pela equipe de pesquisa, venha a integrar um repositório de ações de comunicação da ciência e seja utilizado para promoção da área no Estado.

Outras informações podem ser obtidas por meio do Fale Conosco