BEBIDA FUNCIONAL, NÃO-ALCOÓLICA A BASE DE MANDIOCA, FERMENTADA COM CO-CULTIVO DE BACTÉRIA LÁTICA E LEVEDURA

IDENTIFICADOR: 358 | DATA: 22-07-2021
3047

SETOR ECONÔMICO:

Alimentos

Biotecnologia


PROBLEMA QUE SOLUCIONA:

A mandioca é a terceira maior fonte de carboidratos nos trópicos, depois de arroz e milho, é ainda um dos principais alimentos básicos no mundo em desenvolvimento, existindo na dieta básica de milhões de pessoas. Algumas variedades podem apresentar toxicidade se forem consumidas sem tratamento prévio. Dessa forma, a fermentação da mandioca por culturas de bactérias láticas e leveduras surge como alternativa para detoxificação da mandioca. É uma forma de agregar valor à mandioca através da sua utilização na produção de uma nova bebida fermentada, aliada ao desenvolvimento de um novo alimento nutritivo de origem vegetal para consumo humano.


SOLUÇÃO APRESENTADA:

Elaborou-se uma nova bebida à base de mandioca, fermentada com a mistura de culturas microbianas contendo bactérias com potencial probiótico e leveduras, para uso no mercado e similares.


VANTAGENS E BENEFÍCIOS:

Além de representar uma alternativa para o consumo da mandioca, a bebida constitui um produto diferenciado dos produtos comercialmente disponíveis por ser uma bebida natural, com valor nutricional agregado, de origem vegetal e, portanto, sem lactose.


POTENCIAIS E PLICAÇÕES:

É um novo produto obtido de forma controlada e padronizada, com valor funcional agregado e que poderá ser consumido por crianças e adultos, incluindo aqueles intolerantes à lactose.


ESTÁGIO DE DESENVOLVIMENTO:

Patente concedida.


INFORMAÇÕES ADICIONAIS:

Certos produtos alimentícios à base de mandioca tais como a farinha de mandioca fermentada ou puba, e também o polvilho são produzidos por fermentações naturais, ou seja, sem adição de culturas iniciadoras. A fermentação natural permite crescimento de qualquer microrganismo inclusive os indesejáveis, não há controle e estabilidade do processo. O uso de culturas iniciadoras adequadas permite melhor controle e estabilidade do processo, além de melhorar características do produto, tais como digestibilidade, sabor, textura e características nutritivas.


TITULARES:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS - UFLA

FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE MINAS GERAIS - FAPEMIG


NÚMERO DO PROCESSO DO INPI:

BR 10 2015 030967 8


INFORMAÇÕES PARA CONTATO:

nintec@ufla.br


LINKS ÚTEIS:

Acesse o pedido de patente na íntegra aqui.