NANOPARTÍCULAS CONSTITUÍDAS DE POLI(?-CAPROLACTONA) REVESTIDAS COM QUITOSANA E INCORPORADAS DE SULFAMETOXAZOL E TRIMETOPRIMA: PROCESSO DE OBTENÇÃO, COMPOSIÇÃO FARMACÊUTICA E APLICAÇÃO

IDENTIFICADOR: 498 | DATA: 20-11-2021
3569

SETOR ECONÔMICO:

Biotecnologia

Fármacos


PROBLEMA QUE SOLUCIONA:

Atualmente, não existem medicamentos sistêmicos eficazes destinados ao tratamento da toxoplasmose cerebral, já que este órgão é protegido pela barreira hematoretiniana. Logo, as nanopartículas, administradas pela via intranasal, permitiriam a liberação da sulfametoxazol e trimetoprima, fármacos anti-Toxoplasma, pela via intranasal, que atingiria o sistema nervoso central, e ultrapassaria a barreira fisiológica cerebral.


SOLUÇÃO APRESENTADA:

Tratamento direcionado da toxoplasmose cerebral ultrapassando a barreira hematoencefálica, já que a via intranasal será a escolhida para administração das nanopartículas.


VANTAGENS E BENEFÍCIOS:

As nanopartículas constituídas de poli(caprolactona), revestidas com quitosana e incorporadas de sulfametoxazol e trimetoprima apresentam vantagens no que se refere aos parâmetros farmacotécnicos e farmacocinéticos: (1) estes sistemas permitem a liberação controlada e prolongada dos fármacos; (2) a encapsulação dos fármacos é possível por meio da técnica simples de nanoprecipitação; (3) os sistemas podem ser incorporados de outros fármacos, de diversas classes farmacológicas, que poderiam ser usados no tratamento de outras doenças localizadas no sistema nervoso central; (4) os sistemas protegem os fármacos da degradação enzimática; (5) a mucoadesividade das nanopartículas promove a permanência destes sistemas na cavidade nasal, reduzindo a rapidez da depuração mucociliar; (6) os sistemas aumentam a biodisponibilidade dos fármacos no sistema nervoso central. Tratam-se, portanto, de nanopartículas versáteis em termos terapêuticos.

As nanopartículas constituídas de poli(caprolactona), revestidas com quitosana e incorporadas de sulfametoxazol e trimetoprima apresentam vantagens no que se refere aos benefícios aos pacientes: (1) os pacientes têm a grande probabilidade de não experimentarem efeitos colaterais sistêmicos, já que os fármacos atuarão diretamente no foco de ação; (2) os pacientes têm a grande probabilidade de não experimentarem o desequilíbrio da flora bacteriana no trato gastrointentinal, o que poderia ser extremamente grave em pacientes imunossuprimidos, devido às infecções oportunistas; (3) o revestimento com a quitosana possibilita a adesão das nanopartículas a cavidade nasal, por mucoadesividade, aumentando a biodisponibilidade dos fármacos no sistema nervoso central, o que reduz, consequentemente, o número de administrações da formulação; (4) um regime posológico que envolve menor número de administrações tende a aumentar a adesão do paciente à terapia.


POTENCIAIS E PLICAÇÕES:

Tratamento direcionado da toxoplasmose cerebral em seres humanos e animais pela administração intranasal.


ESTÁGIO DE DESENVOLVIMENTO:

Estágio inicial – realização dos testes físico-químicos laboratoriais.


TITULARES:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO - UFOP


NÚMERO DO PROCESSO DO INPI:

BR 10 2021 021145 8


INFORMAÇÕES PARA CONTATO:

Núcleo de Inovação Tecnológica da UFOP: nite@ufop.edu.br


LINKS ÚTEIS:

Acesse o pedido de patente na íntegra aqui.